quarta-feira, 13 de maio de 2009

Ciclo da matéria orgânica em laboratório real.

A realização da composteira é diretamente associada ao conhecimento escolar, porém o diferencial é tornar esse conteúdo prático. O que era apenas um capítulo do livro de geografia ou ciências vira questão da prova bimestral. Uma colaboradora nesse processo tem sido os professores Telma e Sérgio de ciências. Para eles a composteira tem sido um laboratório onde podem mostrar “ao vivo” os decompositores e o processo biológico de decomposição da matéria orgânica até a geração de Húmus. A importância desse trabalho é demonstrar como o lixo que produzimos é poluente, especialmente se misturado ao restante do lixo comum(inorgânico). Quando somos questionados pelos alunos, e até mesmo por outros professores percebemos que é muito mais importante ter a composteira ativa do que uma infinidade de materiais didáticos sobre o assunto. Ver uma composteira é um momento de reflexão para professores e alunos. Naquele momento refletimos realmente sobre para onde vai o lixo. Para onde vai o lixo? No caso do Alcina uma parte vai para a composteira. Mas sempre deixamos essa pergunta para os alunos como incentivo a reflexão crítica e fazer com que eles sejam sujeitos do processo de convencimento das suas famílias, encorajando – os a iniciarem sua própria composteira como hábito saudável e consciente sobre o meio ambiente.


Imagem retirada de: http://gaia.org.pt/node?page=3

2 comentários:

Mateus disse...

Muito bom o texto! Acho interessante a reflexão sobre o que cada produto que consumimos produz como resíduo e qual é o rastro da produção.
Um exemplo: A banana e o biscoito. A banana pode ser produzida em casa ou comprada de algum agricultor que está relativamente mais próximo que o biscoito industrializado. No caminho da banana até o consumo ela gastará menos energia com transporte em comparação com o biscoito. E a banana produz como residuo a casca, que pode ser usada na composteira ou até em alguns pratos, enquanto que o biscoito deixará certamente um resíduo de plástico, muito mais difícil de se degradar.

Thiago disse...

Na escola da minha mãe eles fazem esse tipo de trabalho, e o resultado é excelente! Estou seguindo o blog que está de parabéns!!!
Deixo o meu aqui também:

http://malmg.blogspot.com/

Obrigado!